Preservar e Transmitir pedaços do nosso Património

12
Out 08

- Artesanato do distrito de Leiria -

 

 Os Bordados das Caldas, originários das Caldas da Rainha, são também conhecidos pelo Bordado Rainha D. Leonor, isto porque, dizia-se que, quando a rainha e as suas aias permaneciam naquela região, costumavem nos tempos livres fazer bordados semelhantes aqueles que chegavam da Índia.

Estes bordados começaram por ser vendidos à porta do Hospital das Caldas da Rainha (no início da sua existência).

Dão-se a estes bordados, três possíveis influências: Indiana, espanhola e veneziana.

 

"Os Bordados das Caldas eram primitivamente executados com fio de linho, tinto num tom castanho dourado ou melado, sobre um tecido ralo branco, ou invés, de linha branca trabalhada em tecido acastanhado, com grande profusão de pontos."
Hoje em dia são bordados em fio de linho comum.

Possuí motivos como espirais, aranhiços e corações, sempre simétricos. Utilizam cores como o azul, castanho, cor de canela. Têm pontos especiais estes bordados: caseados, formiga, pé de galo, recorte, grilhão, espiga.

 

Apesar de, cada dia haver menos pessoas a realizar estes bordados, tem sido feito um esforço para preservar e difundir esta arte, nomeadamente na escola secundário Rafael Bordalo Pinheiro.

 

Sites consultaods: Lifecooler, Wikipédia, Câmara Municipal das Caldas da Rainha

 


22
Jul 08

- Museu do Distrito de Leiria –

 

 

O Museu da Cerâmica, localizado nas Caldas da Rainha, foi criado oficialmente em 1983. Este museu está instalado na Quinta Visconde de Sacavém, formado por um Palacete romântico revivalista, rodeado de jardins de traçado romântico, com lagos, floreiras e alamedas.
No recinto da Quinta, funcionou entre 1892 e 1896, uma oficina designada Atelier Cerâmico, fundada pelo Visconde de Sacavém e que foi dirigida pelo escultor austríaco José Füller.
As colecções apresentadas no museu, provêm de vários centros cerâmicos do país e do estrangeiro, possui também uma mostra da produção cerâmica de Caldas da Rainha, do século XVI aos nossos dias, desde a cerâmica arcaica, até à produção artística de autor do século XIX, destacando-se o núcleo da autoria de Rafael Bordalo Pinheiro bem como a produção Arte Nova de Costa Motta Sobrinho.
As colecções integram ainda núcleos de miniatura com destaque para as obras de Mestre Elias e de azulejaria.
Estão também integradas nestas colecções um núcleo de faianças da Fábrica do Rato (1767-1779), um núcleo de olaria tradicional, um núcleo de produção local de escultura e miniatura.
O núcleo de cerâmica contemporânea de autor inclui, entre outros, peças de Artigas, Llorens Gardy, Júlio Pomar e painéis de azulejos e cerâmicas de Manuel Cargaleiro e de Cecília de Sousa.

Rua Ilídio Amado - Apartado 97 2504-910 Caldas da Rainha
Telefone
262 840 280
3.ª feira a Domingo: 10:00-12:30 e 14:00-17:00
Encerrado ao público à 2.ª feira e nos feriados de 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro
Bilhete Normal - 2,00 €
Descontos:
Jovens (15-25 anos), reformados e professores de qualquer grau de ensino - 1,00 €
Cartão Jovem - 0,80 €
Isenções:
Domingos e feriados até às 14h00

 
Sites consultados: Wikipédia, IPM, lifecooler, Guia da Cidade
Imagens retiradas do Google

Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO