Preservar e Transmitir pedaços do nosso Património

02
Jul 08

 

 

- Monumento do Distrito de Portalegre –

 

O Castelo de Castelo de Vide, localiza-se na freguesia de Santa Maria da Devesa, no concelho de Castelo de Vide.

 

Está construído sobre uma colina da Serra de São Mamede, antigamente tinha uma função defensiva, pois situava-se junto à fronteira com Espanha.

Devido à beleza da paisagem e do município, esta zona é conhecida com a "Sintra do Alentejo".

 

Só em 1232 é que a povoação de Castelo de Vide aparece como domínio do reino de Portugal. No entanto, acredita-se que o Castelo poderá ter sido reconquistado aos árabes por D. Afonso Henriques em 1148.

  

 

Este Castelo trouxe algumas desavenças na família real portuguesa, isto porque, eram filhos de dois casamentos diferentes (o que gerava discórdias entre qual deveria subir ao trono) e porque o Castelo foi doado por D. Afonso III ao infante D. Afonso Sanches que começou a reforçar as suas defesas, construindo muralhas à volta do Castelo. O seu irmão, Rei D. Dinis, achou aquilo estranho e cercou o Castelo em 1281, pensando que aquele reforço das defesas tinha intenções bélicas. Porém, quando tudo indicava o "assalto" ao Castelo chega, de Aragão, uma Real Embaixada com a proposta de casamento do soberano com D. Isabel, futura Rainha Isabel. Apenas com a intervenção do Reino de Aragão é que se acalmaram os ânimos, ficando acordado que D. Afonso Sanches demoliria todos os reforços defensivos que levara a cabo.

 

Em 1299, ocorre outra situação relacionada com o infante D. Afonso originada com o seu casamento com uma infanta de Castela, que o leva a abdicar do senhorio de Castelo de Vide recebendo em troca Sintra, Ourém e outras vilas distantes da fronteira.

  

 

Mais tarde em 1327, D. Afonso IV, de acordo com a inscrição sobre uma das portas, mandou reforçar as defesas do Castelo, altura em que o Castelo fora entregue a Aires Pires Cabral (quarto avô de Pedro Álvares Cabral). No reinado de D. Fernando o Castelo é entregue à Ordem de Avis em troca de Castro Marim.

No final do século XVII, na época da Guerra da Restauração, o Castelo recebe algumas adaptações para artilharia.

 

Esteve no palco de uma série de guerras (Guerra da Sucessão Espanhola, Guerra das Laranja, Guerras Napoleónicas), isso levou a que ele se fosse sofrendo graves danos e perdas. É desactivado em 1823.

 

 

 

Sites consultados: Guia da Cidade, Wikipédia, Câmara Municipal de Castelo de Vide 


25
Jun 08

- Monumento do Distrito de Braga -

 Castelo de D. Chica, Portugal.

O Castelo da Dona Chica (ou também, Castelo da Palmeira ou Palácio da Dona Chica), localiza-se na freguesia de Palmeira, Braga. É um edifício apalaçado de estilo Romântico, projectado pelo Arquitecto Ernesto Korrodi. É um Palácio que conjuga vários estilos como o neo-gótico, neo-renascentista e neo-clássico.

O Palácio, ainda que inacabado, possui um jardim, um lago, uma gruta e diversos canais artificiais. É constituído por quatro pisos.

 

 

Em 1915 é realizado o projecto do arquitecto Suiço, Ernest Korrodi e mandado contruir por João José Ferreira Rego, casado com a brasileira Francisca Peixoto Rego ( daí o nome do Castelo ser “Dona Chica”) que mandou vir do Brasil muitas das espécies de árvores existentes no jardim.

Em 1919 a obra é suspensa, numa altura em que só estavam construídas as estruturas fundamentais, sendo que, se orçamentava as obras em 370 contos de Reis.

Em 1938 é vendido a um fidalgo inglês por 165 contos de réis, que por sua vez o vende, por 80 contos de réis, ao guarda-livros do Conde de Vizela.  Francisco Joaquim Alves de Macedo adquiriu o Palácio e começou a fazer obras no interior do Palácio, mas geraram-se algumas divergências com a autarquia local. Desse modo, foram-se destruindo elementos decorativos interiores (azulejos, tijoleiras e telhas), não restando quaisquer vestígios para uma possível reposição dessas peças.

Na segunda metade século XX é adquirido pela Junta de Freguesia de Palmeira, que entrega o imóvel à IPALTUR, através de um contrato de longa duração.

A 20 de Fevereiro de 1985 é classificado como Imóvel de Interesse Público. Em 1992 adapta-se o Palácio num espaço cultural e recreativo, no entanto, a IPALTUR trespassa o Palácio a uma empresa para pagar uma dívida, no entanto, esta não é aceite e IPALTUR, em 1993, entra em falência, e o imóvel é adquirido pela Caixa geral de Depósitos como hipoteca. Sendo que, em 2006, ainda se encontrava para venda.

Texto Adaptado da Wikipédia – Castelo da Dona Chica

É uma pena um edifício com tanto valor cultural, estar desaproveitado e ditado ao abandono. A história da sua “vida” foi atribulada, cheia de avanços e recuos, no entanto, ainda vai a tempo de encontrar um final feliz. Só espero que seja esse o caso!

 

 

 
Sites consultados: Wikipédia
Imagens retiradas do Google e blogue Bracara Augusta

Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

48 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO